Kill ‘Em All de Metallica


Em 25 de julho de 1983, um grupo de jovens radicados na área da Baía de São Francisco lançou um álbum que revolucionou a história da música e apesar das controvérsias se tornou um dos álbuns fundamentais para todos aqueles que amam metal. Nesta publicação não buscamos dizer nada de novo, nem reinventar a roda, mas coletar algumas curiosidades sobre o álbum e sua criação, bem vamos começar.

Programação Original do Metallica:

Embora seja uma história bem conhecida que Dave Mustaine fez parte do Metallica,pouco se fala sobre Ron McGovney, o baixista original da banda. Bem, não há muito o que falar sobre nenhum dos dois, o Sr. Ron não pôde participar de “Kill ‘Em All”,mas para os discos a formação original era James Hetfield na guitarra e vocais, Ron McGovney no baixo, Lars Ulrich na bateria e o amigo de Deus Dave Mustaine na guitarra.

O nome original do álbum…

O álbum originalmente se chamaria “Metal Up Your Ass”,um nome que a gravadora não achava muito bom, pois não podia ser apreciado por lojas de discos e distribuidores. Ainda assim, a capa original foi usada para uma camiseta icônica da banda.

Cliff Burton “Vamos Matar todo Mundo”

De onde vem o título? Cliff Burton depois de ouvir as desculpas para não nomear o álbum com o título “Metal Up Your Ass” disse “por que não matamos todos eles?” Por que não matamos todos eles? e bem o resto é história.

A contribuição de Dave Mustaine

A história de Dave Mustaine e Metallica é uma das histórias mais repetidas na história do metal, mas ainda assim vamos revisá-la, Mustaine teve sérios problemas com álcool e seu personagem, por isso a banda decidiu expulsar o virtuoso guitarrista de uma maneira inconscrusa mandando-o para casa em uma viagem de ônibus, com isso em mente o quão ruim Mustaine fez? bem, sabe-se que o cara sempre teve problemas com seu personagem, mas não podemos negar que Dave deixou um grande legado na história do Metallica,especialmente com as composições contribuídas para “Kill’Em All” entre as quais ele é oficialmente creditado com “Os Quatro Cavaleiros”, “Jump In The Fire”, “Phantom Lord” e “Metal Militia”. Infelizmente Dave não gravou nada para Kill ‘Em All, pois foi expulso um mês antes da banda gravar. Apesar disso Dave ainda gravou alguns Kill Em’All,falamos sobre a música “The Four Horseman” que ele gravou com Megadeth sob o nome de “The Mechanix”
A adição de Kirk Hammett

A saída de Dave Mustaine foi bem planejada, já que a banda já tinha um substituto, falamos sobre o guitarrista original do Êxodo Kirk Hammett, que tinha um mês para reescrever as músicas de Mustaine e adaptá-las ao seu estilo.
A turnê promocional.

A turnê promovendo “Kill ‘Em All” consto de 36 datas em que o Metallica se apresentou em diferentes locais com Raven.
James Hetfield não queria ser vocalista.

Ao longo dos anos, a voz de Hetfield tornou-se uma marca registrada do que é o Metallica,mas a história pode ter sido muito diferente porque James não queria ser o vocalista da banda, mas para dedicar-se absolutamente à guitarra assim em várias ocasiões antes de gravar “Kill Em’All” o blindado cantor saint john bush foi oferecido a oportunidade de ocupar esse espaço. No entanto, Bush não aceitou e o resto é história. Para se ter uma ideia, deixamos um cover de “Panthom Lord” com Bush nos vocais.
Os créditos.

É o único álbum do Metallica a apresentar os nomes de James Hetfield e Lars Ulrich que não aparecem nos créditos da música. Na verdade, a música “Motorbreath” é a única faixa em que James Hetfield não compartilha créditos com Lars.
O compromisso com um único

Uma das apostas para a inovação no álbum foi incluir o solo de baixo, que Cliff Burton executou ao vivo, este solo é conhecido mundialmente como “(Anestesia) Pulliing Teeth”
Música reciclada:

Algumas das músicas do álbum vêm de bandas anteriores ao Metallica, por exemplo “Hit The Lights” pertence ao Leather Charm, a primeira banda de James Hefield. “The Four Horseman” ou “The Mechanix” foi uma canção do Panic,ex-banda de Dave Mustaine.
venda..
Apesar de sua popularidade no início Kill ‘Em All só vendeu 17 mil cópias em suas duas primeiras semanas, mas até agora mais de 3 milhões de cópias do clássico foram vendidas.
Metallica e luta livre

Durante o auge da luta livre americana, o icônico lutador da WCW Sting usou a música “Seek And Destroy” como música de entrada
E aí, curtiram um pouco da história dos caras?
Continue com o ManeroMusika!
Breve mais histórias cabulosas, “ou não” do mundo do rock.